terça-feira, 28 de abril de 2009

CHAFARIZ DO ADRO

Esta fonte que foi em tempos o lugar mais visitado da aldeia, tanto de dia como à noite. Se ir buscar água era o motivo principal, era também aqui se vinha e ainda se vem, para lavar a roupa e saber todas as novidades, enquanto se lava(va) a roupa. Dar de beber aos animais,(vacas, cavalos, burros......) . Molhar o " vassoiro que servia para varrer o forno antes de meter o pão. Brincar com os peixes cabeçudos que havia em volta do tanque do meio,eu fiz isto muita vez. Também os jovens tinham aqui um lugar ideal para encontrar as raparigas, que vinham buscar água, o numero de raparigas aumentava no tempo da apanha das castanhas porque vinham muitas criadas de fora,alguns namoricos começaram com certeza aqui e muitos anos depois ainda duram. 'Temos provas' As mães que por vezes estavam fartas de esperar pela a água, que nunca mais chegava a casa, vinham buscar as filhas e a frase era quase sempre a mesma, "rais ta partam, o que é que estas a fazer , com a idade que tens e já andas com a cabeça no ar, logo quando o teu pai chegar vais ver!!! e lá iam elas todas tristes para casa, no dia seguinte a historia repetia-se. ----------------------------------------------------------------------- E lembrem-se sempre " água não vigiada" não quer dizer "impropria para consumo"

4 comentários:

Anónimo disse...

ola boa- tarde vou falar do tanque pois fui la lavar muita vez,buscar agua fresca a noite,mas nao era la o meu ponto de namorar.
Era na fonte da aldeia-nova,mas mesmo assim sinto muitas saudades da agua fresca dela.
Um abraço as pessoas do terranho
Maria augusta

Anónimo disse...

Olá, falar do chafariz do adro é uma satisfação,pois guardo muitas lembranças,sempre eu, queria buscar água, para ver o meu amor,e era lá que ficava o grupinho conversando,mas tambem levei muita porrada porque nunca tenha pressa de ir para casa,demorava de mais da conta.Obrigada pelo o blog,só assim recordamos velhos tempos
anónima

Anónimo disse...

Olá, eu também tenho mais recordações da fonte da Aldeia Nova. Enquanto a água corria pelo cantaro já cheio há muito tempo, nós brincavamos de macaca, de tiro-liro, pateiro,etc.
Um abraço a todos os conterranêos e a todos que visitam o blog.

Antonio disse...

Boa tarde.
Disso de namorar ao tanque,nao sei, pois saí da terra com 9 anos, mas lembro-me bem dos peixes cabeçudos, e de um dia estar a beber agua e a mão me escorregar da "bica" e fazer o meu primeiro mergulho em apneia...recordo perfeitamente os limos lá no fundo... devem ter sido poucos segundos até a minha irmã me puxar, mas ficou na memória.
Um abraço a todos
A.Carlos