quarta-feira, 20 de outubro de 2010

OS RESINEIROS

Noutros tempos, todos os pinheiros com porte suficiente para poderem ser sangrados, eram visitados pelos resineiros que, apesar das condições do terreno serem geralmente difíceis, nomeadamente devido ao acentuado declive das encostas, levavam a cabo a sua árdua tarefa em ritmo acelerado. E tem que se dizer, que quando chegavam aos pinhais do Terrenho, já tinham palmilhado três ou quarto kilometros a pé, eles vinham da povoação vizinha, a Castanheira

Por aqui e por ali, nos nossos pinhais, lá andavam os resineiros e as resineiras, é verdade uma boa parte eram mulheres , madrugadores por necessidade lá iam eles (as) de lata ás costas, o ferro e a espátula na mão,

O almoço, ou melhor a bucha, essa vinha presa à cintura num pequeno saco de pano.

Lá iam colhendo a resina para a lata e uma vez esta cheia iam despejá-la numa barrica que nem sempre estava perto, dado que tinha que ser colocada num local onde pudesse ser carregada, noutros tempos em carros de bois e mais tarde já em camionetas. Toda a gente sabia onde andavam os resineiros; eles executavam o seu trabalho cantando e assobiando..

*****************************************************************************

**************************************************************************

E como não podia deixar de ser, aqui fica a letra da canção " O resineiro"

Que foi interpretada pela Tonicha no fim dos anos 60, e também pelo Zéca Afonso.

2 comentários:

Anónimo disse...

Olá á muitos anos,que não vejo resineiros,nem sei se ainda existem,mas a musica eu lembro como se fosse hoje,e quando vi as fotos dos resineiros me deu muitas saudades,e lembrei logo da musica
obrigada pelo blog
BEIJOS a todos da nossa terra

Virginia Cradoso

vmmbrito disse...

Boa Tarde Sr.(a)ADMIN deste Blogue
Chamo-me Vitor Brito
Ando a fazer um Documentário sobre os resineiros,e gostaria que me informa-se se poderia contar com a sua ajuda na pesquisa,e se tem conhecimento de alguns resineiros ainda no activo,para uma possivel filmagem.
Fico á espera de uma resposta,a qual poderá enviar para:
vmbrito@sapo.pt

Com os meus Cumprimentos
Vitor Brito